Fernanda Porto
 
 
 
 
1999

A quebradeira

Agora é minha vez

Alguma coisa

Amor errado

Assalto

Auto-retrato

Baque virado

Bicho do mato

Bola

Caionagandaia

Cidade sem fim

Coco sem água

Conte-me tudo

De costa pro mundo

De graça

Eletricidade

Estrela pop

Eu já te conhecia

Eu preciso entender tudo isso

 
 
 
 
 
 
  in Fernanda Porto 04:26  audio
in Fernanda Porto ao vivo 05:10  audio

Baque virado
música - Fernanda Porto
letra - Alba Carvalho

Ouço batuques e maracatus na TV
Que país é esse que a gente nunca vê?
A não ser na CNN em Espanhol
Em fevereiro tudo vira show
Isso não é uma tribo aborígine

São negros, sim, que falam Português
Pau-brasil bola da vez
De antenas ligadas do sudeste
Da frente do prédio da FIESP
Numa distância de anos-luz
Escuto batuques e maracatus

Se vira, meu
Baque virado não é virado à paulista
Não é um samba, samba, samba, não

Ouço batuques e maracatus na TV
Que país é esse que a gente nunca vê?

É um baque urbano que ouço daqui
As alfaias tocando pra quem quer ouvir
É um batuque rural de canavial
Com chocalhos nas costas do Recife
Realeza vestida de pano de chita

São negros, sim, que falam Português
Pau-brasil bola da vez
São pretos marrons em tela plana
São filhos e netos de Dona Santa
Então por que essa dança tribal
A gente só pode ver na TV?

Se vira, meu
Baque virado não é virado à paulista
Não é um samba, samba, samba, não

Ouço batuques e maracatus na TV
Que país é esse que a gente nunca vê?

© Editora Porto Music (EMI)